sexta-feira, 23 de março de 2012

Pedras

Pedras todos eles pegavam no caminho.

Certa estava de que chegara meu último instante. Meu pecado era grande mais.

Meus acusadores haviam se multiplicado. A culpa consumia meu coração.

Não havia mais chance, era o fim.

A dor constante e o medo entrara no meu coração. Naquele momento lembrei que uma outra mulher já existiu em mim.

Havia alegria e esperança de um futuro...haviam sonhos e um coração disposto a amar.

Mais diante de escolhas, decidi e errei. Errei, errei e errei.

Ferida, machucada...outra mulher me tornei.

Pecadora! Não há mais chance! É o seu fim!

Vozes declaravam minha sentença. A morte chegara até mim.

Me vi sem chão e no chão. Me vi no pó e sendo pó.

Aonde foram parar os sonhos que me alegravam?

Aonde foram parar aqueles que me amavam?

Aonde foram parar?

Ouvi vozes e perguntas e de repente...todos se foram. Restara apenas um.

Pedras eu vi pelo chão.

Não me senti digna de olhar para cima, mais Ele me estendeu a mão.

Não estavam mais diante de mim os que me culpavam...foram se todos que me acusavam.

Mais ainda restou um.

Me levaria como escrava? Que tipo de morte escolhera pra mim?

Segurou-me e me chamou a vida. Com Suas palavras me purificou.

Me trouxe esperança de um recomeço...as minhas lágrimas enxugou.

Do pecado me tirou, pra vitória me chamou...me disse: Outra chance Eu dou.

E aquelas pedras que estavam no caminho...se tornaram a prova de quem hoje eu sou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário